Até onde a contabilidade vai caminhar com a tecnologia

Século XXI e os grandes avanços tecnológicos. Ninguém vive mais sem um smartphone e o acesso à internet se democratizou de modo que praticamente todas as pessoas entram pelo menos uma vez ao dia, seja a trabalho ou entretenimento. Esse avanço tecnológico tem promovido experimentos no campo da robótica e mecânica, por exemplo, através de testes para inclusão de carros movidos a eletricidade ou robôs capazes de desempenhar serviços humanos. Na contabilidade essa ameaça do digital em detrimento as funções humanas se dão por meio dos sistemas contábeis. Entenda mais sobre a contabilidade e a tecnologia:

Claro, a tecnologia mudou muito, e pra melhor, a vida dos profissionais de contabilidade nos últimos anos, entretanto não é suficiente para extinguir a profissão do contador, ou do contabilista. É normal vermos pesquisas como uma recentemente promovida pela Ernst & Young, uma das principais empresas do Planeta na promoção de serviços profissionais, afirmarem que até 2025 a profissão do contador estará extinta. E temos que ver que esse tipo de levantamento é uma meia-verdade. O que é verdade é que o profissional escriturário, responsável por apenas fazer o lançamento de contas, tende a acabar, sim, o que não significa que o profissional de contabilidade tende a sumir do mercado, apenas terá que adaptar-se ao novo modelo da área.

Processo de adaptação

Essa mudança e adaptação profissional, porém, não vem de hoje, mas vem gradativamente desde os Séculos XVI e XVII, com a Revolução Industrial. Contudo, o período mais drástico de adaptação profissional na contabilidade iniciou-se na década de 90, com a democratização da informática, nas quais as planilhas do excel para lançamento de dados foram perdendo espaço para softwares de gestão aplicada e até mesmo personalizada de empresas, fazendo com que a contabilidade deixasse de ser um mecanismo de armazenamento de dados e caminhasse para a gestão organizacional.

Posição do profissional

Mesmo com o reposicionamento do mercado de contabilidade no que se diz a respeito de tecnologia e mecanismo de trabalho, isso não interfere na colocação do profissional de contabilidade, seja ele contador ou contabilista. A não ser que esse profissional se mantenha “dentro da caixinha” e não mude a sua mentalidade empresarial, acompanhando a evolução da profissão.

O momento atual é de serviços personalizados, voltados a um olhar mais próximo do profissional de contabilidade ao cliente.

A tendência atual dos serviços de contabilidade é tomar um posicionamento mais humanizado, o que vai na contramão de qualquer serviço digitalizado. Um exemplo disso, é uma pesquisa realizada em 1996 pelo Conselho Federal de Contabilidade quanto ao interesse contadores em contribuir com o crescimento dos seus clientes, no qual menos de 2% afirmaram ter esse interesse. Em 2016, o SEBRAE realizou a mesma pesquisa e a porcentagem de contadores interessados nessa contribuição foi de 70%.

Reposicionamento

Atualmente, o mercado de contabilidade busca um perfil de contador proativo, multidisciplinar e especializado em solucionar conflitos. Esse novo posicionamento interfere até no salário do profissional. Segundo o Guia Salarial Robert Half, em 2016 o ganho dos profissionais de contabilidade cresceu em até 11%.

O profissional de contabilidade que se reposiciona, é justamente aquele que encontra subsídios nesse avanço tecnológico e abraça essas áreas de gestão empresarial, sendo assim, boas análises e ações estratégicas embasadas em dados previamente informados por sistemas de contabilidade contam muito na hora do planejamento empresarial e na construção de estratégias de negócio.

Por fim, fique tranquilo, a contabilidade não tende a morrer no mercado, mas estão em processo de transformação, onde os trabalhos manuais estão dando lugar aos mentais, de conhecimento. E nisso, novas oportunidades se abrem nesse universo de negócios.

Compartilhe:

Scroll to top
X
Olá, estamos ansiosos para falar contigo.